September 22, 2016

Os podres da Santa Sé

Os podres da Santa Sé

Como uma “sociedade secreta” cercada de segredos, mistérios, códigos, dogmas e traições por todos os lados, a sede da Igreja Católica, a Santa Sé, em Roma, vive tempo de muita turbulência.

E tudo por conta de dois processos:  os efeitos devastadores das denúnicas, tanto em livros recentemente lançados como na mídia, e o empenho do novo PAPA FRANCISCO em “mudar radicalmente” a imagem da Igreja católica no mundo,

“Essas polêmicas estão criando uma atmosfera serena. Há de fato um clima pesado”, admitiu o cardeal italiano Pietro Parolin, secretário de Estado, segunda pessoa na hierarquia da Santa Sé e braço direito do papa.

Ele disse aos jornalistas durante uma  conferência no Vaticano, na terça, dia 10 de novembro, que as resistências às reformas de Francsico são grandes e que será preciso “muita determinação” para vencer os que são contra as mudanças.

O “clima pesado” a que Parolin se refere, piorou desde que dois livros recentemente lançados e várias reportagens na imprensa mundial revelam os privilégios e desperdícios no Vaticano.

O papa Francisco já havia declarado, no dia 6 der novembro, que “não se pode falar de pobreza e depois levar uma vida de faraó. A Igreja deve falar a verdade e também com o testemunho da pobreza. Não é possível que um fiel fale de pobreza e dos sem-teto e leve uma vida de faraó”, disse ao jornal holandês Straatnieuws.

As declarações de Francisco são históricas, quase inacreditáveis: “Na Igreja há alguns que, ao invés de servir, de pensar nos demais, se servem da Igreja. São os arrivistas, os que estão apegados ao dinheiro. Quantos padres e bispos deste tipo já vimos? É triste dizer, não?”, disse ele durante uma missa no Vaticano.

Related posts